Pagamento

Encontro na vida a razão de viver
Pergunto da morte qual a razão de morrer?
Enquanto na vida o real é viver
Não encontro na morte motivos de morrer
A vida cobra, sem sobra, em dólar e agora?
A morte paga e esmaga, com ouro, seu tesouro
O descanso eterno há muito prometido
É o balanço, inferno, espelho invertido
Se a vida é mansa, um mar de rosas
A morte fotografa e você posa
Um instante intenso
Eternamente invento
Um instantâneo colorido
De um umbigo divertido
Que representa a vida que nasce
Que afugenta a morte que renasce
Na pele da vela que se apaga
Tanto quanto a vida a morte paga.

Algum momento de 2003
0068

Anúncios

Sobre Tiago Carpes do Nascimento

Brasileiro, casado, vinte e poucos anos, escritor por obrigação e prazer, professor, curioso, eclético em matéria de música, adora livros e filmes inteligentes (instigantes), cristão, conservador, gosta de política, já sonhou ser presidente do Brasil, presidiu comitê municipal de sigla política, mas a desilusão foi tanta que hoje se contenta apenas em contribuir para a melhoria da educação e para o crescimento vegetativo da população, tendo dado o seu contributo em duas ocasiões.
Esse post foi publicado em VERSOS e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s