Stand-By

Um texto escrito paraRafaela. Um texto pra ser lido no fim do ano que vem. Um texto pra ser lido após minuciosa olhadela na obra “Breve História do Tempo” do Stephen Hawking. Um texto, enfim. Apenas um texto… As noites que passei ouvindo o que jurei não mais procurar; em que escrevia essas bobagens que agora lês; Naquelas noites eu não sabia, não poderia saber que o futuro seria exatamente esse que estamos a viver. O tempo é apenas uma das pernas com as quais a vida corre. Então não sabia, como talvez ainda não saiba como se move o universo em suas quatro dimensões, mas já desconfiava que mesmo se houvesse uma teoria unificada, pouco ou nada a nossa vida mudaria. Eu já desconfiava… Mas naquelas noites eu só pensava na sua ausência e em como tão longe de mim permanecias. Mesmo que houvessem apenas duas dimensões estavas longe; e por um tempo longo demais pra suportar. Naquelas noites eu sonhava você. E nos dias delas eu procurava um sentido encontrar. Eu via as estrelas, lembrava beijos que não chegará a lhe dar e a ansiedade me dominava; naquelas noites. E eu não sabia que o futuro seria o que agora é. Se eu pudesse isolar cada elemento poderia talvez calcular, mas como mensurar sua falta, minha ansiedade, nosso amor comum??? Não haviam Einsteins, nem Newtons ou Galileos. Naquelas noites meu coração era apenas seu. O tempo tecia sua história breve ou longa (tanto faz), mas alheio a tudo eu seguia, sem saber ao certo o que poderia esperar de um novo ano que hoje já se foi… Espaço. Tempo. Vida em 3D. Minha cabeça, naquelas noites, não comportava tanta ansiedade… Pessoas me chamavam, me usavam para lucros obterem. Seres celestes por certo riam, se compadeciam da ingênuidade minha. Ah, aquelas noites… Os cones invertidos se afastando do ponto original. Eu não sabia; não tinha como saber. Meu coração já não batia; Aguardava seu retorno…

26/12/2007 (Retirado do meu blog no GloboOnliners, que será extinto nesse mês.)

Anúncios

Sobre Tiago Carpes do Nascimento

Brasileiro, casado, vinte e poucos anos, escritor por obrigação e prazer, professor, curioso, eclético em matéria de música, adora livros e filmes inteligentes (instigantes), cristão, conservador, gosta de política, já sonhou ser presidente do Brasil, presidiu comitê municipal de sigla política, mas a desilusão foi tanta que hoje se contenta apenas em contribuir para a melhoria da educação e para o crescimento vegetativo da população, tendo dado o seu contributo em duas ocasiões.
Esse post foi publicado em VERSOS e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s